Saúde e Boa Forma

Image


Apesar de ser um dos temperos mais fortes, a pimenta tem características tão benéficas que podem até acabar convencendo quem não gosta da sensação ardida e picante na boca a consumi-la mais. Você conhece as qualidades desse alimento para a saúde? Veja algumas:

- Antioxidante: os antioxidantes são importantes no combate ao envelhecimento. As pimentas do gênero Capsicum (vermelha, malagueta, dedo-de-moça, cambuci, jalapeño, americana, cumari-do-pará, de cheiro, murupi, entre outras) são ricas em substâncias que ajudam a previnir doenças como câncer, diabetes e problemas do coração.

- Digestão: por aumentar a salivação e a secreção gástrica, a pimenta potencializa a produção de enzimas e suco gástrico, ajudando na digestão. Além disso a pimenta vermelha pode ser uma grande aliada no emagrecimento. Ela é capaz de estimular o sistema nervoso, aumentando a liberação de catecolaminas, noradrenalina e adrenalina, substâncias que diminuem o apetite.

- Metabolismo: o consumo eleva a temperatura do organismo e aumenta o gasto calórico. A presença de capsaicina também previne o acúmulo de gordura na região da barriga.

- Colesterol: a pimenta ajuda a aumentar os níveis do colesterol bom (LDL) e controla os triglicerídeos. Quem diria que esse alimento ajudaria a equilibrar a pressão arterial?

- Sistema circulatório: a pimenta possui vitaminas A e C, além de algumas do complexo B. Ela também é rica em cálcio e potássio, o que a torna uma ótima aliada do sistema circulatório. Isso impede a formação de coágulos e aumenta o calibre dos vasos sanguíneos, diminuindo as chances de um ataque cardíaco ou AVC (acidente vascular cerebral).

- Anti-inflamatório: a capsaicina, presente na pimenta, tem uma ação anti-inflamatória poderosa. Para atingir as taxas necessárias de capsaicina, especialistas indicam o consumo diário de seis pimentas dedo-de-moça ou meia pimenta malagueta. Quem quer tentar?

Foto: Shutterstock.com

Image